A actividade física

Ter uma actividade física é muito importante, para manter o corpo jovem e saudável por muito tempo.

Sabia que a partir dos 40 anos, se não tiver actividade física perde cerca de 200 gramas (por ano) de massa muscular, perdendo inclusive densidade óssea?…

img_fisica

A Organização Mundial de Saúde reconhece a importância da actividade física, enumerando mesmo os benefícios: reduz o risco de morte prematura por doenças cardiovasculares, diabetes do tipo II e cancro do cólon, reduz ainda a depressão e a ansiedade, ajuda a controlar o peso corporal, a reduzir a hipertensão arterial, a manter a saúde e o bom funcionamento do sistema músculo-esquelético, a melhorar a mobilidade e a promover o bem-estar psicológico.

Muitas vezes associamos actividade física a ir para o ginásio todos os dias. Conclusão: a maioria das pessoas já desiste da ideia só de pensar nela.

Ter uma actividade física pode ser por exemplo andar durante 45 minutos, 3 x por semana.

Vou enumerar algumas coisas que deve ter em conta:

 – Escolha uma actividade física que goste de fazer (caminhar, correr, bicicleta, ginásio, natação, dançar, etc..);

 – Deve fazê-la entre 3 a 4 vezes por semana;

 – Não há fórmula pronta, ou seja, não existe padrão para todas as pessoas, tem que ser algo de que se goste. Lembre-se que o prazer na actividade escolhida é factor essencial para que não desista;

 – A praticabilidade é importante, por isso procure algo perto do trabalho ou de casa, se for longe acaba por desistir.

Algumas dicas adicionais, para eliminar desculpas por falta de disponibilidade:

 – Pode optar por, 3 vezes por semana, subir as escadas em vez de utilizar o elevador. Esta actividade produz tão bons resultados que criaram uma máquina que simula a subida dos degraus;

 – Deixe o carro mais longe do local de trabalho ou, caso utilize os transportes públicos, saia uma a duas paragens antes, isso vai fazer com que caminhe;

 – Arranje um colega ou amigo para iniciar a actividade, assim cria o compromisso e ajuda a manter a regularidade na prática;

 – Ao fim-de-semana faça uma caminhada longa com a família, e aproveite o tempo para conversar, rir, brincar. Deve ser uma actividade que lhe proporcione mais qualidade de vida e uma maior cumplicidade entre os familiares.

A decisão agora está do seu lado. Termino com uma frase de um idoso anónimo:

“Se eu soubesse que iria viver tanto tempo… teria cuidado melhor de mim.”

Até ao próximo artigo,

Bruno Amaral

Anúncios

Galho seco e galho verde

tumblr_ng2ifuDI0I1qe59s4o1_1280

fotografia retirada de Dudes Doing Yoga

Ou porque é importante ser flexível.

Existem inúmeras razões para trabalhar a nossa flexibilidade física, mas a mais importante de todas é evitar lesões e garantir maior longevidade do nosso corpo.

Utilizando palavras do Prof. Bruno Amaral, comparemos um galho seco e um galho verde: o galho seco parte-se com muita facilidade, enquanto que o galho verde, por ser mais flexível, é mais difícil de partir.

Caminhemos então para nos tornarmos um galho mais verde, mais flexível, e por isso mais difícil de partir. E não pensem que estou apenas a direccionar este post aos desportistas. Quantos de nós já torcemos um tornozelo por apoiar o pé num piso irregular, ou já caímos por tropeçar numa pedra de calçada que estava mais saída? Tornar os nossos músculos e articulações mais flexíveis é um objectivo que deve estar na mente de todos nós, quanto mais não seja para evitar transformar um pé mal colocado em semanas de gesso e fisioterapia…

Mas há mais na flexibilidade do que evitar lesões. Ainda num nível físico, um corpo flexível é mais bonito e consegue mover-se mais graciosamente, deixando um rasto de elegância e subtileza por onde passa.

E por último, para não me alongar muito mais, sejamos flexíveis também nas nossas emoções. O yôga é uma filosofia prática de vida que visa a integração com o mundo que nos rodeia, tendo como meta o autoconhecimento. Este mundo que nos rodeia é composto por uma imensa diversidade de culturas e maneiras de estar na vida. Ao sermos flexíveis emocionalmente, estamos a aceitar estas realidades diferentes, numa convivência pacífica que só beneficia a todos. E, não sendo possível conviver com todos, sejamos flexíveis o suficiente para, em vez de tentarmos mudar quem está ao nosso lado, nos afastarmos de quem não nos quer bem.

O verão voltou

have-a-cool-weekend-quote-1

E com este calor fora de tempo voltou a vontade de sair de casa. Se está na zona de Lisboa, tem várias desculpas para o fazer:

SURF: Cascais Billabong Pro, WCT FEMININO de 1 a 7 de Outubro na Praia de Carcavelos: veja as melhores surfistas do mundo em acção nas ondas de Carcavelos

PADEL: World Padel Tour no Lisboa Racquet Center, em Alvalade: aqui poderá ver alguns dos melhores jogadores de padel a darem tudo para chegarem à final, que se joga no domingo dia 5

VELA: Real Regatta de Canoas, com largada na Praia de Pedrouços às 9h, e percurso pelo Rio Tejo, com chegada ao Cais da Moita às 13h.

Ou então, escolha um dos vários jardins de Lisboa, ou vá até à praia. Seja qual for o destino, aproveite o bom tempo e vá passear! 😉

Crossfit & Yôga: será que combinam?

Crossfit e Yôga: ambas são modalidades que têm vindo a ganhar cada vez mais adeptos. Mas alguns afirmam que não são compatíveis, e que quem pratica uma não vai praticar a outra.

Será?… Analisando alguns estudos feitos, e ouvindo a opinião de vários crossfitters e yôgins, a conclusão é que, tal como acontece com tantas outras modalidades desportivas, Yôga e Crossfit complementam-se, e muito!

crossfit_bw_edt_-45

Ficam algumas razões:

O Yôga dá um equilíbrio belíssimo ao Crossfit

A prática de Yôga vai dar-lhe a oportunidade de trabalhar o seu corpo em posições estáticas, que lhe trazem uma descontração física e emocional, enquanto que o Crossfit lhe vai permitir libertar o seu stress. A combinação, além de linda, vai fazer com que nasça um atleta mais forte, mais flexível, mais equilibrado e com uma mobilidade muito maior.

Praticar Yôga é assumir um compromisso com a recuperação ativa

Todos sabemos que devemos alongar, mas a maioria dos crossfitters acaba um treino e distrai-se a falar com os amigos, ou ficam demasiado exaustos para fazer mais alguma coisa. Praticar Yôga é uma maneira de levar a disciplina aos seus alongamentos, num ambiente seguro e controlado. Seja numa aula de grupo, com um Personal Yôga Trainer, ou na sua prática individual, o que importa é que está a investir numa recuperação ativa do seu corpo.

O Yôga ajuda-o a ouvir e perceber o seu corpo, e a si mesmo

A prática de Yôga vai ficando cada vez mais aperfeiçoada com o tempo. Ela vai-se aprofundado e expandindo, tal como o nosso corpo e a sua capacidade de se curar. A prática aprimora a capacidade do yôgin em estar e focar-se no momento presente, conselho que também é muito válido para os crossfitters novatos. Ao focar-se no que está a fazer, o seu treino vai ser bem mais intenso e proveitoso.

A prática de Yôga tem efeitos de longo prazo e longa duração no seu corpo e na sua mente

Tal como o Crossfit, o Yôga vai ajudá-lo a perceber melhor o seu corpo, identificar as suas limitações e trabalhar para as combater. Além disso, traz-lhe uma maior consciência corporal e da respiração, o que o vai ajudar muito a transformar o stress numa energia que o faz andar para a frente e ter força para realizar todos os seus projetos.

(adaptadas de artigos dos sites progenexeurope.com e tabatatimes.com)