Fases da Respiração

breathe1

No último artigo falámos sobre as partes da respiração (pode ler aqui), esta semana vamos falar das fases.

A nossa respiração é composta por quatro fases: inspiração, retenção com ar, expiração e retenção com os pulmões vazios. Podemos dizer que temos duas fases activas e duas passivas: consideramos activas quando há circulação de ar nas vias respiratórias (expiração e inspiração), e passivas quando esta circulação não ocorre (retenção com e sem ar).

Mesmo que não tenhamos consciência, as 4 fase ocorrem sempre, mesmo que seja por milésimos de segundo. Na retenção com ar ocorrem as trocas gasosas (gás carbónico por oxigénio), na retenção sem ar é como se o nosso aparelho respiratório descansasse. É claro que nunca chegamos a ficar com os pulmões completamente vazios, existe o ar residual +/- 1,5 lt, a nossa reserva de segurança.

Para controlar ou dominar a respiração é importante conhecer estas fases pois agora podemos inserir um ritmo na nossa respiração, e assim ter uma actuação consciente no processo.

Existem vários ritmos que podemos utilizar, com finalidades diferentes, sendo sempre o que dá o mote a nossa inspiração. Vamos ter sempre quatro números que definem o ritmo: inspiração – retenção c/ar – expiração – retenção s/ar

Por exemplo, na respiração quadrada temos 1-1-1-1 (é chamada assim pois as 4 fases têm todas o mesmo tempo); no caso de termos: 1-2-1-0 quer dizer que a retenção com ar é o dobro da inspiração, que a expiração é feita no mesmo tempo que a inspiração, e que não fazemos retenção sem ar (ela apenas é marcada mas sem contagem).

O ritmo mais simples é o quadrado. Experimente fazer o seguinte exercício: Inspire em quatro segundos, retenha o ar nos pulmões e conte quatro segundos, expire em 4 segundos e retenha sem ar também pelo mesmo tempo. Faça alguns ciclos desta forma, se for muito fácil aumente um segundo a cada ciclo, mas não queira ir muito rápido, lembre-se que na natureza não há saltos, tudo tem o seu tempo. Aumente progressivamente e sem pressa, aproveite o momento, desfrute. Caso sinta que a sua respiração se torna ofegante e que o exercício é difícil de manter, reduza um segundo, passando a 3 segundos. O exercício deve revigorar e não cansar.

Comente, deixe as suas dúvidas ou sugestões.

Até ao próximo artigo,

Bruno Amaral

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s