Respiração

breathe

As técnicas respiratórias do yoga recebem o nome de Pránáyáma. Esta palavra tem a sua origem nas palavras sanskritas, prána (energia vital) e yama (controle, expansão)

[As palavras sanskritas têm varias traduções; só para a palavra yama são mais de 30, e para prána são mais de 15]

Assim é mais fácil de perceber o seu significado: são exercícios que auxiliam ao domínio da energia vital (entenda-se a energia vital como ar/oxigénio, essencial para a vida no nosso planeta).

A respiração no yoga deve ser sempre feita pelo nariz, tanto para inspirar como para expirar. Claro que há excepções, mas são poucas. Além de ser nasal, principal característica, ela deve ser consciente, lenta, profunda, silenciosa e com o mínimo de projecção de ar, ou seja, a respiração não deve ser forçada e sim ocorrer de forma natural, tranquila e contínua.

Deverá ser completa, isto é, utilizar a capacidade total do nosso potencial, que podemos dividir em três partes: baixa, média e alta.

A parte baixa ou abdominal recebe este nome pois o movimento no nosso corpo que a caracteriza reflecte-se precisamente nessa região. É muito fácil de perceber: quando o ar entra, o abdómen é projectado para fora, e quando o ar sai, recolhemos o abdómen para dentro.

Pare de ler e experimente fazer algumas respirações desta forma. Feche os olhos e coloque as mãos sobre a sua barriga, um pouco acima do umbigo. Solte todo o ar dos pulmões depois inspire, e o seu abdómen empurra as mãos. Quando expira, as suas mãos vão para dentro como se empurrassem o abdómen (não faça força com as mãos deixe que elas acompanhem esse movimento). Procure aproveitar o momento, concentre bastante atenção no ar a entrar e a sair.

A parte abdominal é responsável por 60% da capacidade respiratória. Procure numa primeira fase treinar esta forma de respirar, de forma a ser natural e espontânea.

Parte média ou intercostal pois o movimento é precisamente sobre as nossas costelas, mais concretamente na musculatura que envolve as costelas. Dá-se quando o nosso tórax expande lateralmente, e é responsável por 30% da capacidade respiratória.

Parte alta ou torácica é quando o alto do tórax sobe na direcção do queixo, é responsável apenas por 10% da capacidade respiratória. É a respiração que  normalmente utilizamos quando estamos irritados ou stressados.

Temos ainda quatro fases na nossa respiração de que vou falar no próximo artigo.

Tire as suas dúvidas, enviando um email ou comentando o post. Se gostou, partilhe. Um amigo pode estar a precisar.

Até ao próximo artigo,

Bruno Amaral

Anúncios

One thought on “Respiração

  1. Pingback: Fases da Respiração |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s